CRISTALEIRA HABITÁVEL | aU - Arquitetura e Urbanismo

Residencial

CARLA JUAÇABA - RIO DE JANEIRO, RJ - 2005/2007

CRISTALEIRA HABITÁVEL

SUSPENSA POR UMA ESTRUTURA METÁLICA, CASA DE VIDRO SE FUNDE A TRECHO CARIOCA DA MATA ATLÂNTICA

POR VALENTINA N. FIGUEROLA FOTOS FRAN PARENTE
Edição166 - Janeiro/2008

A Casa Varanda, projetada pela arquiteta carioca Carla Juaçaba, lembra conceitualmente uma das construções mais emblemáticas da arquitetura do movimento moderno: a Casa Farnsworth, de Mies van der Rohe. Assim como a obra-prima criada pelo célebre arquiteto alemão, a residência carioca, localizada na Barra da Tijuca, se destaca pelo predomínio absoluto do vidro, pela simplicidade das linhas e estrutura metálica que suspende a construção do solo. A inserção na natureza é outro ponto em comum entre as obras cuja transparência permite integração plena entre interior e exterior.

Diferente da Casa Farnsworth, a Casa Varanda possui uma planta simétrica e retangular em que os quartos, dispostos nas extremidades, configuram uma sala de estar central apelidada de "varanda" pela arquiteta. "Quando os painéis estão abertos, tem-se a impressão de estar numa varanda", justifica Carla Juaçaba. O telhado se projeta 1,5 m para fora do perímetro da construção, formando um beiral que protege as aberturas da chuva. Uma clarabóia corta a cobertura longitudinalmente, iluminando todos os espaços interiores. Orientadas na mesma direção, as paredes registram os raios de luz de forma ritmada. "Como um relógio de sol, a luz desenha a passagem do dia", descreve a autora do projeto.

Quando conta a história da casa, a arquiteta demonstra afeição especial pelo jambeiro cujas flores cobrem o solo do terreno, formando um tapete rosa. A residência foi construída há um ano para um casal que, desde o princípio, se mostrou receptivo à idéia de viver em uma "caixa acristalada", destituídos da privacidade proporcionada pela construção convencional de alvenaria e concreto. Até mesmo o banheiro da suíte está cercado por painéis de vidro que, quando estão abertos, integram o espaço fisicamente com a floresta de árvores centenárias. A propósito, nenhuma árvore foi derrubada para que a construção pudesse ser erguida. Para isso, a casa teve de ser disposta transversalmente no terreno, numa clareira existente. "A implantação foi um dos maiores desafios do projeto", reconhece Carla Juaçaba.

Graduada em arquitetura e urbanismo pela Universidade Santa Ursula em 1999, Carla usa transparência e grandes vãos para integrar suas construções à natureza. Além da conexão entre interior e exterior, a arquiteta privilegia os espaços internos contínuos, ordenados de forma clara e fluida. Os volumes arquitetônicos simples, desenhados por poucos planos perpendiculares - somente os necessários, diga-se de passagem - quase sempre estão suspensos do solo por uma estrutura metálica. Materiais como pedras brutas, por exemplo, compõem paredes estruturais aparentes. "Para mim, a concepção estrutural é a essência da forma", revela a arquiteta.

A correspondência entre forma e estrutura caracteriza obras como o Atelier Residência (Rio de Janeiro, 2002), projetado por Carla em parceria com o artista plástico Mário Fraga, e a Casa Rio Bonito (Nova Friburgo, RJ, 2004), ambas premiadas na 40a Premiação Anual do IAB-RJ. Bela na composição dos materiais e na simplicidade formal, a Casa Rio Bonito é formada por duas paredes espessas, feitas de pedra, que suportam quatro vigas metálicas. As vigas, por sua vez, sustentam as lajes do piso e cobertura.

Na Casa Varanda, uma seqüência de vigas pré-moldadas de concreto (com 6 m de comprimento), encaixada em ligas metálicas, configura a laje revestida com um piso cimentado claro. As poucas paredes existentes estão dispostas transversalmente em planta, de forma a não obstruir a vista, ou seja, é possível enxergar através da casa e ver o outro lado do lote.

O terreno lodoso exigiu fundações profundas. Assim, foram executadas estacas de concreto de 20 m de comprimento, que transferem as cargas dos pilares metálicos às camadas mais profundas do solo. Carla conta que essa foi a parte mais demorada da obra. A estrutura de perfis de aço soldados foi erguida em quinze dias e a cobertura, composta por telhas de zinco-alumínio do tipo sanduíche, foi instalada em apenas um dia. "É uma casa simples e de baixo custo", conclui a autora do projeto.

INHABITABLE CRYSTAL CLOSET
Suspended from the ground, with glass facades and metal structure, the house designed by the carioca architect Carla Juaçaba is a reminder, from the conceptual point of view, of the Farnsworth House, by Mies van der Rohe. Located in the middle of the Mata Atlântica, at Barra da Tijuca, in Rio de Janeiro, the building has a rectangle-shaped symmetric plan. The bedrooms are in the rectangle's extremities. Among them there is a living room with a disposition and transparency that make it seem like a varanda, from which the building was named: Casa Varanda. A skylight extends itself lengthwise, illuminating all the spaces of the house. The roof is projected 1.5 meters beyond the building's perimeter, forming eaves which protect the openings from rain. Graduated in architecture and urbanism by the Universidade Santa Ursula in 1999, Carla Juaçaba, in her work, has privileged the integration between interior and exterior and continuous internal spaces, ordered in a clear and fluid manner. The simple architectural volumes, with only few perpendicular plans - only the needed ones, one should add - are almost always suspended from the ground by a metal structure. Materials such as rough stones, for instance, compose apparent structural walls. "To me, the structural conception is the essence of shape", states the architect.



Destaques da Loja Pini
Aplicativos