Palco de festival no Jockey Club de São Paulo tem projeto compartilhado por SuperLimão Studio, Guto Requena e Marko Brajovic | aU - Arquitetura e Urbanismo

Design

São Paulo, SP. 2017

Palco de festival no Jockey Club de São Paulo tem projeto compartilhado por SuperLimão Studio, Guto Requena e Marko Brajovic

Gustavo Curcio
Edição 278 - Maio/2017

No mês de fevereiro, São Paulo sediou o Dekmantel Festival, um dos mais importantes eventos de música eletrônica do mundo. Após anos organizando festas, seus fundadores Thomas Martojo e Casper Tielrooij decidiram ampliar o amor que têm pela música de qualidade, pouco convencional e dançante, com a criação de um selo em 2009. Quatro anos depois, juntos a um amigo de longa data e então sócio, Matthijs Theben Terville, o trio decidiu expandir suas operações para dentro do universo dos festivais. O evento realizado no Jockey Club de São Paulo atraiu 6 mil pessoas. A ideia geral da cenografia foi a simbiose entre cada um dos palcos e a própria arquitetura do Jockey, cujo projeto data dos anos 1940, do arquiteto francês Henri Sajous.

ARQUITETURA MIMETIZADA

Para a criação da cenografia de três palcos do festival, um time de arquitetos foi convidado para participar do projeto: SuperLimão Studio, Atelier Marko Brajovic e Estúdio Guto Requena. A linguagem e o programa dos palcos seguiram o evento original, desenvolvido pelo holandês Bob Roijen (Light & Stage Designer). O projeto de iluminação é do Sala 28 e a execução da cenografia, da GTM.

Conteúdo exclusivo para leitores
cadastrados ou assinantes da revista aU - Arquitetura e Urbanismo

Ainda não é um assinante PINI?
Escolha uma das opções abaixo e faça já sua assinatura.