Polêmico e independente, o arquiteto Mike Reynolds, criador do conceito Earthship, é conhecido pelos métodos construtivos nada convencionais que reutilizam materiais de descarte | aU - Arquitetura e Urbanismo

Entrevista

Polêmico e independente, o arquiteto Mike Reynolds, criador do conceito Earthship, é conhecido pelos métodos construtivos nada convencionais que reutilizam materiais de descarte

Alexandra Gonsalez
Edição 278 - Maio/2017

O polêmico e independente arquiteto americano Mike Reynolds, criador do conceito Earthship de arquitetura sustentável, com o uso responsável dos recursos naturais e o desenvolvimento de relações humanas sustentáveis, esteve no Brasil nos dias 23 e 24 de março. Reynolds ministrou palestras em Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, cidade onde desenvolverá a primeira Vila Sustentável Earthship. A vila engloba três planejamentos diferentes, que incluem um local de moradia para 54 pessoas da luta antimanicomial, uma escola de ensino fundamental para atender as 400 famílias do Assentamento Mário Lago e pelo menos outros quatro projetos da iniciativa privada.

As estruturas arquitetônicas desenvolvidas por Reynolds levam itens que normalmente são descartados, como latas de alumínio, garrafas plásticas e pneus usados. Além das edificações serem construídas de maneira radicalmente 'verdes', os projetos preveem que a energia elétrica e o fornecimento de água se mantenham em funcionamento independentemente do fornecimento externo. As casas aproveitam a energia solar e eólica, captam a água da chuva e da neve derretida. Há sistemas que utilizam uma horta com células botânicas para filtrar a água de uso cotidiano, além de produzir alimentos.

Nascido em 1945, Reynolds ingressou no curso de arquitetura da University of Cincinnati em 1969. Ele viveu toda a efervescência das discussões de sua época, quando as questões relacionadas à preservação da natureza e dos direitos civis formaram sua geração. Na sala de aula, o arquiteto encontrou muitos obstáculos para defender aquilo que acreditava, o que acabou motivando-o a criar seu projeto de vida. 'Quando jovem, fiz todas as aulas e obtive meu diploma. Mas percebi que a arquitetura de então não servia para nada. Não se relacionava com o planeta, nem com as necessidades das pessoas', conta.

Conteúdo exclusivo para leitores
cadastrados ou assinantes da revista aU - Arquitetura e Urbanismo

Ainda não é um assinante PINI?
Escolha uma das opções abaixo e faça já sua assinatura.



Destaques da Loja Pini
Aplicativos