Projeto de estudante da PUC-Rio ganha I Prêmio Grandjean de Montigny do CAU-RJ | aU - Arquitetura e Urbanismo

Urbanismo

Notícias

Projeto de estudante da PUC-Rio ganha I Prêmio Grandjean de Montigny do CAU-RJ

Adara Duarte, que desenvolveu uma possibilidade de integração entre terrenos industriais do bairro de Manguinhos e o tecido urbano, ganhou uma viagem para Paris

Luísa Cortés, do Portal PINIweb
19/Dezembro/2016

O projeto Manguinhos Submerso - Operação Urbana foi o vencedor do I Prêmio Grandjean de Montigny, promovido pelo Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Rio de Janeiro (CAU/RJ). A proposta é de Adara Nataly Loureiro Duarte, orientanda de Duarte Vaz e Vinicius Mattos, da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio).

Ele apresenta a possibilidade de integração entre os terrenos da refinaria e de depósitos ao tecido urbano, trazendo melhorias socioeconômicas e culturais através de um conjunto de ações sustentáveis.

O bairro de Manguinhos, no Rio de Janeiro, tem o seu passado repleto de projetos de industrialização, saneamento e rodoavirismo inconclusos, desde o início do século XX, o que deu espaço a um processo de favelização. Hoje, ele constitui indústrias que sobreviveram na região e comunidades.

A área da refinaria de Manguinhos corresponde a cerca de 25% de toda a sua região administrativa. Ali, um quarto do solo é contaminado, o que faz com que 5% da população local sofra com contaminação por chumbo. Esta é justamente a região escolhida para o projeto de Adara, que desenvolveu uma possibilidade de integração entre tais terrenos e o tecido urbano.

Com isso, ela espera a recuperação das áreas de mangue, tratamento e reaproveitamento de água e implementação de moradias com a apropriação das estruturas e instalações industriais.

O júri do concurso considerou o trabalho de extrema importância. "A metodologia de abordagem do projeto de recuperação da área degradada demonstra sensibilidade, competência e inventividade", destacou. Como recompensa, Adara ganha uma viagem a Paris, com dez diárias pagas.

O arquiteto e urbanista Ruy Ohtake, que estava presente na premiação, também elogiou o trabalho. "Apesar de ser um estudo preliminar, aborda muito bem o urbanismo quanto a seus aspectos ambientais e à sustentabilidade. Espero que a estudante continue desenvolvendo o projeto para transformar Manguinhos em uma área muito significativa para a cidade. O projeto dá um passo muito importante do ponto de vista da contemporaneidade e do futuro", afirmou.

O prêmio é uma homenagem ao arquiteto francês Auguste Henri Victor Grandjean de Montign, que chegou ao Rio de Janeiro em 1816 e foi o criador da primeira escola de arquitetura do país, a Escola Real de Ciências, Artes e Ofícios.